Ideias na Mesa - Blog


postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Quarta-feira, 06 de Agosto de 2014

Essa semana se comemora a Semana Mundial do Aleitamento Materno, que acontece anualmente entre os dias 1 e 7 de agosto. Desde 1948, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desenvolve ações voltadas a saúde da criança devido a grande preocupação com a mortalidade infantil. 

Em 1990 de um encontro organizado pela OMS e pela UNICEF resultou em um documento que promove e protege a amamentação. Esse documento conhecido como "Declaração de Innocent" apresentou 4 objetivos operacionais, são eles:

• Estabelecer um comitê nacional de coordenação da amamentação;
• Implementar os "10 passos para o sucesso da amamentação" em todas as maternidades;
• Implementar o Código Internacional de Comercialização dos Substitutos do Leite Materno e todas as resoluções relevantes da Assembléia Mundial de Saúde;
• Adotar legislação que proteja a mulher que amamenta no trabalho.

mae2Dentro desse contexto em 1999, João Almeida publicou o livro "Amamentação. Um Híbrido Natureza-Cultura.". Nesse período o desmame precoce estava sempre presente na agenda da saúde pública no Brasil. 

O autor utiliza o biológico e social como fio condutor para unir os quatro eixos de problematização que compõe os quatro capítulos do livro, sendo eles: “Amamentação: a relação entre o biológico e o social”; “Dimensões socioculturais da amamentação no Brasil”; “A rede sociobiológica desenhada pelo leite humano”;  “Bancos de leite humano: o estabelecimento de um novo paradigma”.

Esse movimento de construção tem por objetivo buscar os elos que unem o biológico e o social no cenário da amamentação, configurando-a, portanto, um híbrido natureza-cultura. Dessa forma fatos sociais e fenômenos biológicos que até então eram considerados eventos independentes e imiscíveis, como amamentação e leite fraco, são postos lado a lado e tratados sob a mesma perspectiva – a de lidar com os híbridos.

O livro ressalta ainda a supervalorização do conhecimento científico em detrimento dos demais possibilitando construções científicas, que visam atender interesses particulares de grupos sociais, como aqueles sustentados pelo marketing de alguns fabricantes de leites modificados.

O objetivo do livro é levantar questionamentos que permitem o desenvolvimento de ideias e reflexão do leitor.

mae1Além do livro, em 2004, João Almeida junto com Franz Novak publicam um artigo com o mesmo título do livro que busca contribuir para a construção de uma nova síntese teórica das inter-relações entre o biológico e o social no cenário da amamentação, categorizando-a com um híbrido natureza-cultura a partir da análise de documentos históricos, livros, artigos científicos e teses de medicina escritas nos séculos 19 e 20. Dessa forma, a amamentação simboliza mudanças teóricas e metodológicas ocorridas especialmente no final da década de 90, que correspondem a uma revalorização da biologia e a um aprofundamento nos processos interdisciplinares.

Hoje, segundo o Unicef, apesar dos benefícios comprovados, menos de 50% dos recém-nascidos no mundo são amamentados em sua primeira hora de vida. E apenas 38% das crianças com menos de seis meses são alimentadas exclusivamente pelo leite materno durante esse tempo. Ainda de acordo com o Fundo,  aconselhamento, educação e apoio podem aumentar os índices de aleitamento materno exclusivo entre crianças com menos de seis meses de idade em até 90%. Dessa forma, apesar dessas publicações serem de 10 anos atrás ou mais, a discussão sobre os fatores que interferem na amamentação ainda se constitui atual.

Tanto o livro quanto o artigo se encontram na nossa biblioteca e podem ser acessados pelos seguintes links:

- Livro: http://www.ideiasnamesa.unb.br/index.php?r=bibliotecaIdeias/view&id=224

-  Artigo: http://www.ideiasnamesa.unb.br/index.php?r=bibliotecaIdeias/view&id=225



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui