Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):publicações

postado por Equipe Ideias na Mesa em Segunda-feira, 12 de Outubro de 2015

Outubro é o mês para comemorar as crianças e a alimentação, a rede Ideias na Mesa lança um caderno de colorir que une o lúdico à comida e aborda diferentes contextos da alimentação brasileira.

Nosso caderno de colorir  é um convite para aqueles que amam comida e acreditam que um sistema alimentar sustentável é possível e urgente!

São 12 imagens com as quais você pode presentear uma pessoa querida, decorar um ambiente da casa ou do trabalho, e, ainda mais, usar  nas suas atividades de Educação Alimentar e Nutricional!

ideias para colorir

Lançado apenas na versão digital, o caderno pode ser impresso na íntegra, ou apenas a imagem em que se deseja colorir. Em algumas das ilustrações há espaços em branco para desenhar e dar aquele toque especial.

Como o próprio nome da publicação diz: são várias “ideias para colorir à mesa”!

Por isso, sente-se e desfrute desse momento compartilhando deliciosas refeições e ilustrações inspiradas.

Aguce ainda mais sua criatividade e faça sua própria ilustração sobre o que é comida de verdade, ficaremos felizes em recebê-la e divulga-la!

E se apenas colorir te bastar, tire uma foto da sua obra e poste no instagram com a hashtag #ideiasparacolorir.

Esta é mais uma iniciativa da rede Ideias na Mesa para você!

 

Serviço

Publicação: Ideias para colorir à mesa

Número de páginas: 15

Edição: Rede Ideias na Mesa

Disponível na biblioteca do Ideias na Mesa aqui!


 



postado por Rafael Rioja Arantes em Quarta-feira, 30 de Setembro de 2015

O Ministério do Desenvolvimento Agrário lançou um livro com formato inovador reunindo 750 trabalhos de pesquisadores independentes que tiveram seus artigos publicados em revistas de indexação dentro do campo da transgenia. O diferencial deste livro é que ao contrário de revisões bibliográficas que apresentam publicações sobre determinados temas, questionamentos são colocados sobre aspectos do debate científico no campo da transgenia para, em seguida, apresentar um elenco de referências bibliográficas que contrariam versões desse debate adotadas por agências reguladoras e divulgadas em campanhas de marketing das empresas produtoras de transgênicos.

Um dos fatores que motivou a elaboração deste trabalho foi que pelo quinto ano consecutivo o Brasil foi o segundo maior produtor de plantas transgênicas no mundo, já ultrapassando 40 milhões de hectares de área cultivada para este fim. Estes números justificam a importância de se monitorar os impactos ambientais, e principalmente na saúde dos seres humanos.

A síntese dos 750 trabalhos mostra que não existe consenso científico em relação ao uso dos transgênicos para saúde das pessoas, assim como para sociobiodiversidade. Além disto, as informações contidas neste trabalho reforçam a necessidade de análises críticas do atual modelo de desenvolvimento de produção. 

Acesse o link para o livro em nossa biblioteca.



postado por Maína Pereira em Terça-feira, 03 de Março de 2015

 A dica de hoje é para profissionais envolvidos em ações de Educação Alimentar e Nutricional no Programa Bolsa Família (PBF).

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), em parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ofereceu curso online de aperfeiçoamento para formação e capacitação de gestores e/ou profissionais que atuam no PBF visando a articulação e organização de ações intersetoriais de EAN integrada às políticas, programas e projetos.

O material didático utilizado no curso encontra-se disponível agora na Biblioteca do Ideias para todos interessados e tem como tema central a Educação Alimentar e Nutricional aplicada de forma continuada e permanente em ações públicas da saúde, educação e assistência social em âmbito local.

O livro online contém conteúdos pedagógicos que se articulam entre a teoria e a prática e que visam contribuir para a atuação dos profissionais envolvidos nas ações de EAN no PBF como protagonistas do fortalecimento da Segurança Alimentar e Nutricional e também para a autonomia dos titulares de direito.  


 



postado por Maína Pereira em Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2015

Você já deve conhecer a nova versão do Guia Alimentar para a População Brasileira que foi lançado em novembro do ano passado, não é mesmo?

Se ainda não, clique na imagem abaixo para conhecer!

novo guia

Com uma nova proposta de abordagem, o guia apresenta grupos alimentares com enfoque no nível de processamento dos alimentos e considera não apenas o aspecto nutricional, como também os aspectos sociais, culturais e ambientais relacionados à nossa alimentação.  

Mas como podemos trabalhar esses grupos alimentares em ações educativas?

Pensando nisso, uma estudante da Universidade de São Paulo, com a colaboração de suas colegas, desenvolveu recentemente material didático para que sirva de apoio à prática do nutricionista em ações direcionadas a indivíduos.

Os grupos alimentares foram representados em um esquema de círculos, em que cada grupo correspondia a determinada cor e tamanho de acordo com as recomendações de consumo sugeridas no guia. 

grupos alim

Por exemplo, o grupo de alimentos naturais ou minimamente processados foi representado pelo círculo de cor verde e de maior tamanho já que recomenda-se que se tornem alimentos base da alimentação.

Em seguida, o círculo de cor azul foi representado pelo grupo dos alimentos processados em que se recomenda um consumo limitado.

Na cor amarela ficaram o grupo dos óleos, gorduras, sal e açúcar em que se sugere a utilização em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias.

E por último e menor, o círculo de cor laranja que representa o grupo dos alimentos ultraprocessados que devem ser evitados.

Um dos objetivos do esquema é que o indivíduo, de forma lúdica, possa compreender o funcionamento e a proposta do guia e também conversar melhor sobre o assunto.

Considerando que o guia alimentar pode ampliar a autonomia nas escolhas alimentares das pessoas, famílias e comunidades, o acesso a suas informações de forma didática e lúdica pode contribuir positivamente para isso.

O material foi fruto de trabalho na disciplina de Educação Nutricional Aplicada ao Indivíduo sob orientação da Profª Drª Rosa Wanda Garcia.

Mais informações sobre ele podem ser encontradas em nossa biblioteca aqui.




postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Quarta-feira, 06 de Agosto de 2014

Essa semana se comemora a Semana Mundial do Aleitamento Materno, que acontece anualmente entre os dias 1 e 7 de agosto. Desde 1948, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desenvolve ações voltadas a saúde da criança devido a grande preocupação com a mortalidade infantil. 

Em 1990 de um encontro organizado pela OMS e pela UNICEF resultou em um documento que promove e protege a amamentação. Esse documento conhecido como "Declaração de Innocent" apresentou 4 objetivos operacionais, são eles:

• Estabelecer um comitê nacional de coordenação da amamentação;
• Implementar os "10 passos para o sucesso da amamentação" em todas as maternidades;
• Implementar o Código Internacional de Comercialização dos Substitutos do Leite Materno e todas as resoluções relevantes da Assembléia Mundial de Saúde;
• Adotar legislação que proteja a mulher que amamenta no trabalho.

mae2Dentro desse contexto em 1999, João Almeida publicou o livro "Amamentação. Um Híbrido Natureza-Cultura.". Nesse período o desmame precoce estava sempre presente na agenda da saúde pública no Brasil. 

O autor utiliza o biológico e social como fio condutor para unir os quatro eixos de problematização que compõe os quatro capítulos do livro, sendo eles: “Amamentação: a relação entre o biológico e o social”; “Dimensões socioculturais da amamentação no Brasil”; “A rede sociobiológica desenhada pelo leite humano”;  “Bancos de leite humano: o estabelecimento de um novo paradigma”.

Esse movimento de construção tem por objetivo buscar os elos que unem o biológico e o social no cenário da amamentação, configurando-a, portanto, um híbrido natureza-cultura. Dessa forma fatos sociais e fenômenos biológicos que até então eram considerados eventos independentes e imiscíveis, como amamentação e leite fraco, são postos lado a lado e tratados sob a mesma perspectiva – a de lidar com os híbridos.

O livro ressalta ainda a supervalorização do conhecimento científico em detrimento dos demais possibilitando construções científicas, que visam atender interesses particulares de grupos sociais, como aqueles sustentados pelo marketing de alguns fabricantes de leites modificados.

O objetivo do livro é levantar questionamentos que permitem o desenvolvimento de ideias e reflexão do leitor.

mae1Além do livro, em 2004, João Almeida junto com Franz Novak publicam um artigo com o mesmo título do livro que busca contribuir para a construção de uma nova síntese teórica das inter-relações entre o biológico e o social no cenário da amamentação, categorizando-a com um híbrido natureza-cultura a partir da análise de documentos históricos, livros, artigos científicos e teses de medicina escritas nos séculos 19 e 20. Dessa forma, a amamentação simboliza mudanças teóricas e metodológicas ocorridas especialmente no final da década de 90, que correspondem a uma revalorização da biologia e a um aprofundamento nos processos interdisciplinares.

Hoje, segundo o Unicef, apesar dos benefícios comprovados, menos de 50% dos recém-nascidos no mundo são amamentados em sua primeira hora de vida. E apenas 38% das crianças com menos de seis meses são alimentadas exclusivamente pelo leite materno durante esse tempo. Ainda de acordo com o Fundo,  aconselhamento, educação e apoio podem aumentar os índices de aleitamento materno exclusivo entre crianças com menos de seis meses de idade em até 90%. Dessa forma, apesar dessas publicações serem de 10 anos atrás ou mais, a discussão sobre os fatores que interferem na amamentação ainda se constitui atual.

Tanto o livro quanto o artigo se encontram na nossa biblioteca e podem ser acessados pelos seguintes links:

- Livro: http://www.ideiasnamesa.unb.br/index.php?r=bibliotecaIdeias/view&id=224

-  Artigo: http://www.ideiasnamesa.unb.br/index.php?r=bibliotecaIdeias/view&id=225



postado por Maína Pereira em Quarta-feira, 02 de Julho de 2014

marco Você já conhece a Biblioteca do Ideias? Lá estão disponíveis diversos artigos, publicações e vídeos sobre temas de Alimentação e Nutrição.

Segue uma dica de leitura para esta semana: o Marco de Referência da Educação Popular para as Políticas Públicas.

Baseada em princípios da Educação Popular como a amorosidade, dialogicidade e conscientização, o documento traça um percurso metodológico de aproximação dos referenciais teóricos e metodológicos com o fazer e a construção de políticas públicas mais participativas.

 O Marco de Referência tem por objetivo “promover um campo comum de reflexão e orientação de práticas coerentes com a perspectiva metodológica proposta pela Educação Popular para o conjunto de programas, projetos e políticas, com origem, principalmente, na ação pública, e que contemplem diversos setores vinculados a processos educativos e formativos das políticas públicas”.

O documento, que integra o conjunto de ações previstas na elaboração da Política Nacional de Educação Popular, pode ser encontrado em nossa biblioteca. Vale a pena a leitura para reflexão de ações mais participativas e que proporcionem troca de saberes para análise crítica sobre a realidade e transformação social!

Acesse aqui!



postado por Marília Barreto Meneses Pessoa Lima em Quarta-feira, 30 de Abril de 2014

No ano internacional da Agricultura Familiar, queremos divulgar ações, experiências, publicações relacionadas ao tema.

A AS-PTA – Agricultura Familiar e Agroecologia é uma associação de direito civil sem fins lucrativos que, desde 1983, atua para o fortalecimento da agricultura familiar e a promoção do desenvolvimento rural sustentável no Brasil.

A AS-PTA publica revistas que possuem como objetivo dar visibilidade a iniciativas de promoção da agroecologia desenvolvidas por famílias e organizações camponesas no Brasil e em outros países.

E o destaque da Biblioteca do Ideias é a revista publicada pela AS-PTA na Revista Agriculturas -Cadernos de Debates N1, com o tema: Dez Qualidades da Agricultura Familiar. O autor sintetiza o potencial multifuncional que a Agricultura Familiar pode desenvolver a fim de superar dilemas civilizacionais.

Você pode ler integralmente essa publicação na Biblioteca do Ideias.

 


Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui