Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):artigo

postado por Lucas Ferreira em Quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

Muito se discute em relação à suplementação de micronutrientes para grupos de risco na sociedade. Os programas governamentais costumam aliar várias ações para otimizar a inserção direta de nutrientes, desenvolvendo a educação nutricional ao mesmo tempo em que é ampliado o alcance e a eficiência da distribuição dos suplementos para as regiões do país que tem altos índices de deficiência.

Como as medidas de promoção de saúde muitas vezes não envolvem custos altos ou grandes planejamentos, a implantação destas é extremamente benéfica para a melhora das condições da população. Mas para identificar as ações mais eficazes, é necessário analisar e avaliar as políticas já implementadas.

vita A

O artigo "A educação nutricional nos programas oficiais de prevenção da deficiência da vitamina A no Brasil" buscou exatamente isso: identificar a promoção da Educação Alimentar e Nutricional nas campanhas de prevenção de deficiências, como o da Vitamina A. 

Realizada com base nos documentos oficiais e em outras pesquisas de promoção de EAN, a pesquisa de 2010 listou e relacionou a evolução da política com a mudança nas condições de saúde da população. Passando pelas megadoses de Vitamina A, o incentivo ao aleitamento materno e as orientações de alimentação saudável, a linha do tempo das políticas públicas caminha pelo desenvolvimento e estabelecimento da saúde brasileira.

Infelizmente, as políticas públicas não favoreceram a EAN como ação contínua durante a maior parte do período de implementação destas campanhas, o que resultou em práticas não correlacionadas, que seriam mais efetivas se fizessem parte de uma estratégia ampla de intervenção.

amamentcartaz

Quanto maior a importância dada à EAN, mais abrangentes as campanhas se tornam, uma vez que passam a ser universais ao invés de exclusivas à um grupo de risco ou aplicadas em somente uma estratégia para redução das deficiências. Com a aplicação de recomendações e orientações sobre alimentação e aleitamento, as próprias campanhas deixam de ser preventivas de doenças e passam a ser promotoras de saúde!  

Acesse o artigo completo aqui!

E para conhecer mais sobre uma das estratégias governamentais de prevenção de deficiências, você pode acessar na plataforma RedeNutri (Rede de Nutrição do Sistema Único de Saúde) o curso "Estratégias para prevenção de carências de micronutrientes no Brasil: ferro, vitamina A e vitamina B1"

 




postado por Lucas Ferreira em Quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

Amanhã é o dia Mundial da Alimentação!

Para comemorar, selecionamos na nossa biblioteca arquivos sobre o tema escolhido pela FAO este ano: Agricultura Familiar - Alimentando o mundo, cuidando do Planeta.

Confira os arquivos:

"Pequenas Fazendas: Status Atual e Tendências" (em inglês)

agr verde

Este artigo analisou a atuação e estabelecimento de fazendas de agricultura familiar no mundo inteiro, trazendo muitos fatores para classificação das pequenas fazendas. O artigo é muito interessante para reafirmar a viabilidade desse meio de produção, uma vez que compara também a contribuição econômica da agricultura familiar para vários países com a contribuição proveniente de latifúndios. Acesse o artigo na íntegra! (em inglês)

Engenhos da Cultura: teias agroecológicas

agroec

O desenvolvimento de práticas agroecológicas permeia as comunidades baseadas na agricultura familiar. Nos engenhos de farinha de Santa Catarina, a população é parte do desenvolvimento da padronização e registro das técnicas que permitem a produção de um alimento tão característico quanto a farinha de mandioca catarinense. O livro ressalta a importância cultural e educacional do produto preparado nos engenhos de farinha, que vai além da importância econômica. Confira aqui

"Agricultura Familiar - Cadeias Produtivas"

Fechando os nossos destaques, temos um vídeo que deixa claro que a agricultura familiar não é um peso para a economia e nem para os governos. A produtividade, o papel na diminuição da pobreza e os empregos gerados na terra de quem produz em pequena escala são grandes benefícios para o país. Por meio de cooperativas, os agricultores conseguem passar adiante produtos saudáveis e de baixo custo para toda a população. Assista ao vídeo e saiba mais!

Acesse a nossa biblioteca e fique por dentro de todas as publicações sobre a Agricultura Familiar! Se você quiser, também pode contribuir enviando arquivos para o nosso e-mail. Faça parte da nossa equipe!



postado por Lucas Ferreira em Quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

Os processos de elaboração de Educação Nutricional não podem ficar presos a uma área de conhecimento, uma vez que somente os nutricionistas não tem o conhecimento de todas as implicações de um projeto que integra várias mídias ou tipos de intervenção. foto prato

Na elaboração de softwares para EAN, por exemplo, aplicativos de computador ou celular, são necessários profissonais de diversas áreas para elaborar e avaliar a interatividade, impacto e efetividade do conteúdo. Um programa mal elaborado não é usado com facilidade e não é atrativo para as pessoas.

Por esse motivo, os autores desse artigo contaram com a participação de designers e programadores para elaborar um projeto simples e também uma técnica de elaboração de aplicativos para educação de adultos em basicamente qualquer área. Por meio de uma das teorias do Design Instrucional (ou Engenharia Pedagógica).

Apesar de parecerem termos complexos, eles são essenciais para a elaboração de projetos para o ensino, e na verdade simplificam o processo de desenvolvimento de softwares por meio de reavaliação dos objetivos durante a criação.

Confira o artigo completo na nossa biblioteca (em inglês), e aprenda mais sobre o processo de criação para EAN!


 



postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Quarta-feira, 06 de Agosto de 2014

Essa semana se comemora a Semana Mundial do Aleitamento Materno, que acontece anualmente entre os dias 1 e 7 de agosto. Desde 1948, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desenvolve ações voltadas a saúde da criança devido a grande preocupação com a mortalidade infantil. 

Em 1990 de um encontro organizado pela OMS e pela UNICEF resultou em um documento que promove e protege a amamentação. Esse documento conhecido como "Declaração de Innocent" apresentou 4 objetivos operacionais, são eles:

• Estabelecer um comitê nacional de coordenação da amamentação;
• Implementar os "10 passos para o sucesso da amamentação" em todas as maternidades;
• Implementar o Código Internacional de Comercialização dos Substitutos do Leite Materno e todas as resoluções relevantes da Assembléia Mundial de Saúde;
• Adotar legislação que proteja a mulher que amamenta no trabalho.

mae2Dentro desse contexto em 1999, João Almeida publicou o livro "Amamentação. Um Híbrido Natureza-Cultura.". Nesse período o desmame precoce estava sempre presente na agenda da saúde pública no Brasil. 

O autor utiliza o biológico e social como fio condutor para unir os quatro eixos de problematização que compõe os quatro capítulos do livro, sendo eles: “Amamentação: a relação entre o biológico e o social”; “Dimensões socioculturais da amamentação no Brasil”; “A rede sociobiológica desenhada pelo leite humano”;  “Bancos de leite humano: o estabelecimento de um novo paradigma”.

Esse movimento de construção tem por objetivo buscar os elos que unem o biológico e o social no cenário da amamentação, configurando-a, portanto, um híbrido natureza-cultura. Dessa forma fatos sociais e fenômenos biológicos que até então eram considerados eventos independentes e imiscíveis, como amamentação e leite fraco, são postos lado a lado e tratados sob a mesma perspectiva – a de lidar com os híbridos.

O livro ressalta ainda a supervalorização do conhecimento científico em detrimento dos demais possibilitando construções científicas, que visam atender interesses particulares de grupos sociais, como aqueles sustentados pelo marketing de alguns fabricantes de leites modificados.

O objetivo do livro é levantar questionamentos que permitem o desenvolvimento de ideias e reflexão do leitor.

mae1Além do livro, em 2004, João Almeida junto com Franz Novak publicam um artigo com o mesmo título do livro que busca contribuir para a construção de uma nova síntese teórica das inter-relações entre o biológico e o social no cenário da amamentação, categorizando-a com um híbrido natureza-cultura a partir da análise de documentos históricos, livros, artigos científicos e teses de medicina escritas nos séculos 19 e 20. Dessa forma, a amamentação simboliza mudanças teóricas e metodológicas ocorridas especialmente no final da década de 90, que correspondem a uma revalorização da biologia e a um aprofundamento nos processos interdisciplinares.

Hoje, segundo o Unicef, apesar dos benefícios comprovados, menos de 50% dos recém-nascidos no mundo são amamentados em sua primeira hora de vida. E apenas 38% das crianças com menos de seis meses são alimentadas exclusivamente pelo leite materno durante esse tempo. Ainda de acordo com o Fundo,  aconselhamento, educação e apoio podem aumentar os índices de aleitamento materno exclusivo entre crianças com menos de seis meses de idade em até 90%. Dessa forma, apesar dessas publicações serem de 10 anos atrás ou mais, a discussão sobre os fatores que interferem na amamentação ainda se constitui atual.

Tanto o livro quanto o artigo se encontram na nossa biblioteca e podem ser acessados pelos seguintes links:

- Livro: http://www.ideiasnamesa.unb.br/index.php?r=bibliotecaIdeias/view&id=224

-  Artigo: http://www.ideiasnamesa.unb.br/index.php?r=bibliotecaIdeias/view&id=225



postado por Lucas Ferreira em Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Para servir um prato saudável e cheio de boas comidas, dependemos da produção dos Pequenos Agricultores. Prova disso é a análise da produção de alimentos feita pelo IBGE em 2006, que mostrou que quase 50% da produção dos alimentos mais presentes na mesa do brasileiro vem da Agricultura Familiar.

Por esse motivo, em comemoração ao Dia do Agricultor (dia 28 de Julho), a Biblioteca do Ideias colheu algumas publicações para parabenizar essa profissão tão honrada e essencial para a humanidade. Confira os destaques dessa semana:

Começando por esse Vídeo do Escritório Regional da FAO da América Latina e Caribe, que produziu uma animação da nossa comida em seu trajeto do campo até a nossa casa. Você realmente sabe quem é responsável pela chegada dos alimentos na sua mesa? 
  

 

Cultura Agricultores

 
 
E não podemos deixar de lado um importante fator na Agricultura Familiar: A produção para autoconsumo. Essa Publicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul se baseou em estudos sobre os hábitos e a cultura alimentar dos produtores. Como é a visão deles sobre alimentação saudável? Quais são suas influências internacionais? Como a modernização e urbanização afeta os seus conceitos e valores?
 
 
 
  
Agricultores consomem
 
E finalmente, para direcionar ações de EAN, todos os grupos devem ser estudados cuidadosamente. Muitas vezes, fatores geradores de hábitos saudáveis diferem entre as diferentes culturas. Esse artigo da Universidade de Campinas avaliou o consumo de Frutas Legumes e Verduras por agricultores para determinar se o acesso ao alimento saudável garante o consumo ou se esse fator deve ser analisado separadamente.
 
 



postado por Marília Barreto Meneses Pessoa Lima em Quarta-feira, 26 de Março de 2014

Quais são as perspectivas das ações governamentais em Educação Alimentar e Nutricional?

 

Novas Perspectivas em Educação Alimentar e Nutricional

O artigo “Novas Perspectivas em Educação Alimentar e Nutricional” permite a reflexão de ações governamentais sobre a temática de educação alimentar e nutricional, como por exemplo, a estratégia Fome Zero na qual suas ações foram configuradas no Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) tendo como perspectiva a promoção da segurança alimentar e nutricional.

Mesmo sendo um artigo publicado em 2008, ele continua sendo atual visto que destaca as recomendações para o desenvolvimento de ações educativas em alimentação e nutrição: Respeitar as culturas alimentares e valorizar a história alimentar; Promover a autonomia dos indivíduos; Fomentar a biodiversidade local entre outras. Recomendações essas que estão alinhadas com os princípios do Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para Políticas Públicas.

Não deixe de conferir o artigo na Biblioteca do Ideias na Mesa.  

 



postado por Maína Pereira em Quarta-feira, 19 de Março de 2014

comida na cabeca

O escritor Rubem Alves já escreveu que “a mente é uma grande cozinha. Pensar é cozinhar: transformar ideias cruas pelo poder do fogo”. Seguindo a associação entre refletir e cozinhar, o site Comida na Cabeça apresenta um menu vasto com artigos acadêmicos e notícias desse universo sobre alimentação. A ideia surgiu da jornalista especializada no assunto Joana Pellerano e da pesquisadora na área de turismo e alimentação Maria Henriqueta Gimenes-Minasse, que garimpam temas privilegiando abordagens socioculturais.

Com a forma de um mosaico, o site oferece fácil navegação e é um prato cheio para os que têm fome de saber e se especializar no assunto. Eventos, cursos, chamadas para artigos, dissertações, teses e outras publicações estão disponíveis para serem devorados.

Conheça o site aqui!



postado por Ideias na Mesa em Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2014

dhaaurbano “O Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) é compreendido em duas dimensões: estar livre da fome da desnutrição e ter acesso a uma alimentação adequada”.

A coluna "Biblioteca do Ideias" trará para você, toda semana, uma sugestão de artigo, vídeo ou publicação da nossa biblioteca para aprofundar seus conhecimentos!  Já que estamos falando de Direito Humano à Alimentação Adequada, essa semana trouxemos um artigo que discute este assunto com um foco no ambiente urbano.

Debater o tema do DHAA em um contexto urbano, onde a aquisição de alimentos é feita prioritariamente por relações mercantis, é um grande desafio, principalmente no que diz respeito aos bairros empobrecidos. É disso que trata o artigo “Direito Humano à Alimentação Adequada: Um Olhar Urbano”, que foi publicado em 2010 na Revista Ciência & Saúde Coletiva. Este estudo apresenta reflexões realizadas a partir de um estudo qualitativo em um município empobrecido do Rio de Janeiro. 

Acesse aqui o artigo da Biblioteca do Ideias na Mesa e também não deixe de conferir o nosso primeiro curso de autoaprendizagem a distância: Educação Alimentar e Nutricional: uma estratégia para a promoção do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA). 



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui