Empoderamento da Comunidade Escolar sobre Direito Humano a Alimentação Adequada e Doença Celíaca
Postado 25/09/2015

 
Postado por
renata lopes de siqueira

Viçosa - MG
31 3899-1234 31 3899-1265
Organização/Instituição Promotora da Experiência : Departamento de Nutrição e Saúde/Universidade Federal de Viçosa
Área da Experiência: Educação, Saúde
Niveis Atuacao: Municipal/Local
Setor da Organização/Instituição: Público
Sujeito Idade: 20 a 59 anos,
Número Aproximado de Participantes da Experiência : 51-100
Sujeito Caracteristica : Trabalhadores, Agricultores, Conselheiros ou gestores de programas públicos , Profissionais da educação, Profissionais da saúde, Manipuladores de alimentos / Cozinheiros / Merendeiros / Gastrólogos
Tipo Local: Outros
Tipo Experiência: Dinâmica em Grupo, Palestra, Roda de Conversa
Temática: Alimentação do escolar, Direito Humano à Alimentação Adequada e Segurança Alimentar e Nutricional , Prevenção/controle de obesidade e doenças crônicas não transmissíveis (diabetes, hipertensão, câncer, doenças cardíacas, doenças respiratórias...), Promoção da Alimentação Adequada e Saudável


Sobre A Iniciativa:

A ação é parte do Projeto do Departamento de Nutrição e Saúde, da Universidade Federal de Viçosa, intitulado "PRÓ-CELÍACO III: Promoção da inclusão alimentar dos portadores de Doença Celíaca no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) da rede pública de ensino do município de Viçosa-MG". A equipe é coordenada pela professora Renata Lopes de Siqueira e conta com a participação da discente de Nutrição Sophia Sol G. Fernandino e das nutricionistas Tatiane Cristina Serafim e Regina C. R. Miranda Milagres. Este projeto é parte de um Programa denominado Pró-Celíacos coordenado pela professora Ana Vládia Bandeira Moreira.

 Surgiu de uma demanda percebida em atendimentos ambulatoriais de crianças celíacas vinculadas ao Projeto “Pró-Celíacos – atendimento às demandas sócio-nutricionais”. Nestes atendimentos foi verificada a dificuldade das crianças em seguirem a dieta isenta de glúten durante o período em que se encontravam nas escolas, já que, frequentemente, o cardápio ofertado é composto por preparações com glúten. Percebeu-se ainda no discurso dos pacientes e responsáveis a ausência da compreensão da alimentação e o acesso a mesma enquanto um direito, assim como quem são os portadores da obrigação de prover, promover, proteger e respeita o DHAA dos celíacos titulares de direito.

O objetivo foi promover inclusão alimentar dos portadores de DC no PNAE por meio do empoderamento da comunidade escolar acerca da patologia, da identificação dos titulares de direitos e portadores de obrigação e dos mecanismos de exigibilidade do DHAA.

 



Passo A Passo:

Foram realizados três encontros:

- 1 encontro com nutricionista e diretores da rede pública de ensino do município de Viçosa;

- 1 encontro com nutricionista e merendeiras da rede pública de ensino do município de Viçosa;

- 1 encontro com agricultores familiares e membros do Conselho de Alimentação Escolar do município de Viçosa;

 

O conteúdo programático de cada encontro foi dividido em dois temas de reflexão:

- Tema 1: Direitos Humanos, DHAA, princípios do DHAA, titulares de direito e portadores de obrigação na realização do DHAA, mecanismos de exigibilidade do DHAA.

-Tema 2: Definição da Doença Celíaca, procedimentos de diagnóstico; sinais clínicos e sintomas; tratamento; consequências da ausência do diagnóstico e tratamento e implicações da doença na vida social do indivíduos

Nestes encontros foram utilizadas técnicas inovadoras que integram metodologias ativas de ensino e aprendizagem, a saber: exposição dialogada e dinâmicas de grupo. Ao término de cada encontro, foi servido aos participantes um lanche com preparações sem glúten, as quais integram o receituário do Pró-Celíacos e serão futuramente reproduzidas em oficina culinária destinada às merendeiras.



Considerações:

Ainda não se dispõe de todos os resultados sistematizados, pois o projeto encontra-se em andamento. No entanto, uma avaliação processual permite inferir que tem ocorrido uma participação efetiva da comunidade escolar nos eventos. Esta participação está expressa na alta freqüência às reuniões e no interesse manifesto pelo tema durante as horas de conversar. Além disso, percebeu-se a motivação da comunidade assistida pelas solicitações de novos eventos relacionados ao tema.

Os principais desafios são: compatibilizar as agendas da comunidade escolar para participar dos eventos e ausência de um nutricionista vinculado a Secretaria de Educação Municipal para atuar como agente multiplicador permanente.

A lição que temos tirado é o impacto positivo que representa o uso de metodologias ativas de ensino e aprendizagem. A mesmas têm possibilitado o diálogo e a troca de saberes contribuindo para a proposição de formas alternativas de acesso ao DHAA dos portadores de DC no contexto da alimentação escolar.







Álbum de Fotos da Experiência



* Nenhum arquivo encontrado!


Experiências Relacionadas







Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui